Muitas pessoas passam por diversas dificuldades ao longo de suas vidas. Sejam elas financeiras, físicas ou emocionais. Mas no fundo a vontade de viver sempre fala mais alto. Foi com esse pensamento que o Instituto Projeto Neymar Jr. recebeu hoje um verdadeiro guerreiro das montanhas. Sobrevivente da tragédia que aconteceu no Nepal recentemente, após um terremoto que devastou o país, o alpinista brasileiro Rosier Alexandre, de 46 anos, conheceu o que o INJR vem construindo com as famílias do Jardim Glória.

Rosier que é administrador de empresas e praticante do alpinismo aos finais de semana já escalou as seis maiores montanhas do Planeta Terra. O seu próximo desafio para completar a escalada da 7ª montanha, o Everest, porém, foi adiado por duas vezes. Depois de testemunhar a maior avalanche da história da montanha, com 16 mortes, e ter sobrevivido, o alpinista retornou ao Monte Everest neste ano em 30 de março, mas teve seu plano adiado novamente por uma catástrofe.

“Eu me tornei sobrevivente do maior terremoto que já assolou o Himalaia. Foi um terremoto 7.8 graus na escala Richter, quando morreram mais de 8 mil pessoas identificadas e a ONU estima mais de 4 mil ainda desaparecidas. Eu estava há quase 7 mil metros de altitude, já bem próximo do pico, quando veio o primeiro terremoto que tremeu tudo”, conta Rosier sobre a sensação do tremor que teve seu epicentro a 80km da capital do Himalaia, Katmandu.

P1110795

Sobrevivente do terremoto que atingiu o Monte Everest, e que matou 22 pessoas, Rosier afirmou que a sua preparação nos treinos para as escaladas foi essencial para sua sobrevivência.

“Eu já havia passado várias situações complicadas nas montanhas, mas nada que se compare a essa tragédia desse ano. O meu nível de treinamento é parecido com a história do Neymar. O treinamento faz a diferença na vida de todo mundo. Ninguém consegue ser um atleta de sucesso se não treinar exaustivamente. Só o talento não vai nos levar a lugar nenhum. Treinei muito para que na hora da grande avalanche eu pudesse manter a calma, pudesse sobreviver e voltar salvo”, contou o alpinista enquanto fazia a visita às instalações do INJR.

Depois de ver de perto o sofrimento de muitas famílias, Rosier criou uma campanha com seus amigos para arrecadar dinheiro para doação aos sobreviventes e hoje já conta com 200mil reais enviados para o Nepal. Com a vontade de fazer ainda mais, principalmente para as crianças, Rosier falou sobre seu novo projeto.

“Pode parecer pouco, mas é muito dinheiro para uma população que tem uma renda per capita abaixo de 500 dólares por ano. Com cerca de R$200 ou R$300 ajudamos a reconstruir a casa deles. A campanha continua e a próxima etapa é construir uma escola para as crianças que ficaram órfãs com essa tragédia”, afirmou.

Visita ao Instituto

P1110798

De passagem por Praia Grande para visitar sua irmã, o alpinista ficou sabendo sobre o funcionamento do Instituto Projeto Neymar Jr. e visitou o local nesta tarde de sexta-feira (22). Depois de passar por diversos países e ter conhecido muitas pessoas, Roseir afirmou que nunca viu nada parecido com o que foi feito pela família de Neymar Jr.

“Eu nunca vi no Brasil nem em outro lugar nenhuma estrutura que funcione dessa forma. Volta e meia vemos uma fachada bonita, mas que se arrasta. É um projeto tão bonito e tão concreto. Sem dúvida emociona em conhecer, ver coisas diferentes e ver o quanto isso é grande”, disse.

Roseir visitou todas as instalações do Instituto e parou para tirar fotos com algumas crianças. O alpinista que ficou por cerca de 2 horas no local, ainda contou que seu próximo desafio será retornar ao Monte Everest pela 3ª vez, no próximo ano, para então concluir a escala da montanha e somar sua 7ª montanha explorada.