Os alunos do Projeto Noturno também se empenharam em fazer suas redações sobre o Coronavírus e os sentimentos e inseguranças que sentiram e continuam sentindo. Cristian Evangelista Dos Santos, de 17 anos, escreveu bastante sobre o futuro e o quanto valorizou, ainda mais, sua família.

Confira sua redação!

Bom dia, boa tarde ou boa noite, como vocês podem ver meu nome é Cristian porém pode me chamar de CABELO. Então quem foi o Cristian (no caso eu ) na quarentena? Eu tentei cooperar ao máximo tanto comigo quanto com a sociedade, porém nas poucas oportunidades que eu tive de sair de casa eu não abri mão de ver o sol (porque eu amo o sol). Tem apenas duas casas que eu frequento nessa quarentena que é a da minha namorada e a do meu tio, apenas essas duas.  Não estou saindo tanto de casa mas quando saio não tenho companhia e evito andar com amigos por conta da Covid-19.

Diante do isolamento eu conheci outro “Eu” e também conheci mais a minha família dentro de casa, o isolamento em si alimentou o amor que eu já tinha pela minha mãe e pelo meu irmão. Eu amo abraços e o isolamento me proporcionou mais tempo para eu dar a eles dois mais carinho e atenção, porque o pouco tempo que eu tinha eu dava o meu melhor para abraçar e dar amor a eles.
Quando essa pandemia acabar eu tenho certeza que a natureza vai estar mais colorida, o abraço em si vai ser “mega” importante.

Eu acredito que muitas das pessoas vão valorizar mais o abraço e vão começar a abraçar com muita vontade. Eu acho que o mar vai estar mais azul e mais limpo e as matas vão estar mais verdes também. O término da quarentena vai ser uma coisa boa e maravilhosa, mas com um pouco de desconfiança é claro.