Começar o ano com a saúde em dia é um dos propósitos do Instituto Projeto Neymar Jr. Prezar pela qualidade de vida das crianças e adolescentes atendidos é o objetivo do projeto que realiza entre os dias 21 de janeiro e 08 de fevereiro exames médicos, clínicos e odontológicos com os alunos recém-matriculados para o ano de 2019.

 

Tendo o suporte dos parceiros do Espaço Saúde do INJR como Angio Corpore, Laboratório Lavoisier, Hospital Oftalmológico Visão Laser, Sidney Neves e Odontoclinic, o Instituto terá um total de 461 alunos novos atendidos para o ingresso no projeto no dia 04 de fevereiro, quando as aulas recomeçam. Essas parcerias de extrema importância são o segundo passo após o preenchimento dos dados cadastrais da criança ou do adolescente e suas respectivas famílias, como conta Tamires Martins, Enfermeira do INJR.

“Todas as crianças que estão ingressando no Instituto passam por todos os setores da saúde começando pelo dentista, onde são avaliadas. Depois elas passam pelos médicos e têm uma triagem clínica, exames laboratoriais e o eletrocardiograma. A partir desse momento a gente avalia a criança como um todo e encaminha a criança se ela precisar de uma ajuda específica, assistência social e psicólogos”, conta Tamires que ainda informa que após a liberação dos exames os alunos estão aptos para começarem as atividades educacionais e esportivas no INJR.

Ao longo do dia, o Espaço Saúde recebe as famílias que aguardam sua vez para que as crianças passem pelo corpo médico e odontológico de profissionais do INJR. Marlene de Andrade, avó do aluno João Pedro de Andrade de 7 anos, estava muito ansiosa para o começo das aulas e falou sobre a importância de ter todo esse atendimento dentro do Instituto.

“Essa possibilidade dele poder fazer todos esses exames médicos e odontológicos seria bom se todas as crianças tivessem essa oportunidade. Isso é uma maravilha para o bairro e eu fico até arrepiada de falar que ele vai poder fazer os tratamentos gratuitos. Isso é muito bom”. Já João era um dos mais falantes e curiosos alunos que perguntava tudo para os médicos. Durante o exame de eletrocardiograma ele ficou apreensivo, mas depois que viu que não sentiu nenhuma dor até quis repetir o exame. Mas a ansiedade para começar as aulas bateu mais forte. “Eu acho que eu estou um pouco ansioso pra fazer a natação, futebol, matemática e informática”.

 

Quem também deu grande importância para o serviço oferecido para a garotada foi Robson Santos Oliveira, pai de aluna. Ele que acompanhou sua filha nos exames disse que além da importância de fazer parte do projeto, o fato de ter esse suporte médico é algo notável. “É importante pra gente saber como é que anda a saúde das nossas crianças. Importante também é ter o acompanhamento para sabermos como estão nossos bebês (risos)”, finalizou.