A sala de aula do Instituto é um lugar para lembrar de fatos históricos e contribuir para o desenvolvimento social e educacional das crianças e adolescentes atendidos. Nas datas comemorativas os professores organizam atividades lúdicas e educativas para ensinar a história do país. Em setembro, mês da independência do Brasil, os alunos participaram de atividades nas aulas de artes e informática para aprender esse fato histórico.

Alunos durante aula de informática sobre a Independência do Brasil

Buscando sempre aliar a tecnologia para manter a história ao alcance dos jovens, as aulas no INJR seguem um cronograma de pedagógico de ensino. Além de realizarem o conteúdo programado para o ano letivo, os professores desenvolvem aulas com temas importantes, como conta Henrique Bento, professor de informática, sobre a atividade em comemoração à Independência do Brasil.

“A importância de aliar a tecnologia junto a história, em especial a história da nossa independência, é que os alunos quando pesquisam sobre esse assunto  podem se fazer presentes nos momentos que marcaram uma conquista tão importante para nosso país. Através de textos escritos por historiadores e pesquisadores, além de estarem aprendendo como pesquisar com mais eficiência usando a ferramenta de pesquisa do Google, eles podem acessar tudo sobre o que aconteceu com apenas alguns cliques”.

Durante a aula de informática, na Sala da Microsoft, os alunos pesquisaram sobre o tema na internet, escreveram uma pequena redação no computador e também aprenderam a inserir imagens no meio do texto.

Na aula de artes, na Sala da Faber Castell, a professora Elisângela também busca sempre trazer novidades que despertem o interesse dos alunos pela história e por temas importantes para o desenvolvimento da garotada. Após conversa sobre os fatos que aconteceram à margem do Rio Ipiranga, em 7 de setembro de 1822, os alunos retrataram em massinha a cena famosa de Dom Pedro I entrando para a história do país.

Rafael e Kainã fizeram atividade em dupla na aula de artes

Para o aluno Rafael Dias Pereira, de 8 anos, da Turma D2, a aula de artes serve para ele expressar o seu jeito de ver a história do Brasil. “Eu desenhei o Dom Pedro do meu jeito. Veio na minha mente e fiz assim. Eu usei essas cores porque vi um vídeo dele na escola e quis fazer igual”, finalizou.