Misturar cores e sentimentos é aquela famosa dobradinha brasileira que deu muito certo na carreira de dois grandes artistas do país. Dono de uma das músicas que muito marcou a infância de várias gerações, Toquinho leva a imaginação das crianças bem longe com a música Aquarela. Por outro lado temos o pintor Romero Britto, que usa suas obras e principalmente as cores para trazer a sensação de esperança e aconchego. E foi unindo esses grandes nomes, que o Instituto Projeto Neymar Jr. inspirou seus alunos.

p1340445

Professora Mariana e alunas durante atividade na Aula de Artes

Durante a Aula de Artes, as turmas foram se acomodando e preparando seus lápis de cor sobre as mesas. Após as instruções da professora Mariana Camargo, as crianças ouviram a música Aquarela e em seguida usaram as referências da técnica usada por Romero Britto para criarem novas versões para a canção. A escolha dos artistas brasileiros não poderia ter sido diferente, segundo Mariana.

“Porque são obras bem coloridas, alegres e que fazem com que a imaginação deles voe e que eles consigam achar meios através das cores para expressarem os sentimentos, as alegrias e as tristezas. Conseguimos enxergar o mundo das crianças, como elas pensam e agem, através dos desenhos”.

p1340404

Segundo a professora de artes, o mundo hoje vive uma busca pela imitação de outras culturas. O reflexo desse comportamento acaba atingindo as crianças e por isso a aula serviu para que os alunos criassem uma obra com a sua própria visão e entendimento sobre o mundo deles.

“As pessoas estão saindo muito do país e buscando referências lá fora. Estamos vendo a dificuldade que o Brasil está passando, então queremos despertar neles o sentimento patriota; mostrando que o mundo pode ser bom e que eles podem utilizar os nossos meios e recursos culturais, as nossas origens”.

p1340416

E durante a atividade, os desenhos começaram a ganhar formas e cores, principalmente. Castelo, pássaro, sol e o menino que dá vida para personagem principal da animação de Aquarela surgiram no papel branco. Caio Vinicius Ferreira da Silva, de 10 anos, da Turma C9, era um dos mais concentrados em reproduzir a letra da música. Ele, que usou cores marcantes, criou uma história baseada nas obras de Toquinho e Romero.

“Escolhi as cores porque acho elas divertidas e mais vivas. Escolhi elas, também, por causa do Romero Britto. Desenhei um menino, do que eu entendi da música, debaixo da chuva indo para um barco viajar pelo mundo todo”, contou.

p1340366

Caio segura o desenho da Aquarela que fez usando as técnicas de Romero Britto

O pintor brasileiro que é conhecido pelo mundo, também passou a ser figura constante nas aulas de artes do Instituto Neymar. Já Adriano Igolete da Silva, de 10 anos, da Turma D9, preferiu usar mais elementos do estilo de Romero Britto para desenvolver seu desenho. Sua interpretação da música também ganhou novos traços. As crianças aprenderam sua técnica no começo do ano e como conta Adriano ninguém esqueceu.

“Desenhei o sol e o castelo porque posso fazer diferente, por causa da música e do Romero. Usei coração, quadrado, bolinha e triângulo, porque quis mostrar as formas geométricas. A aula foi diferente porque juntou a arte com a música”.

p1340435

Adriano usou as referências de Romero Britto para desenhar um sol

Com o objetivo de usar a cultura através da educação em sala de aula, a atividade desenvolvida na matéria de artes do INJR será realizada por todas as crianças assistidas pelo projeto.

p1340356