As aulas do Super Cérebro no Instituto Neymar Jr. trarão novidades para os alunos em 2019. Durante quatro dias, os educadores do projeto passaram por um treinamento de conhecimento e aperfeiçoamento da metodologia da empresa parceira do INJR para receber a garotada no dia 04 de fevereiro para o início das aulas. Utilizando a técnica do Soroban, ábaco japonês para ensinar matemática, e jogos colaborativos e individuais, o Super Cérebro capacitou os profissionais para replicarem o método em sala com os alunos.

Os dias de treinamento, segundo Ilana Alves, Coordenadora Pedagógica do INJR, foi de grande importância para os educadores do projeto aprenderem ainda mais sobre as novidades da metodologia, além de relembrarem alguns jogos que o Super Cérebro aplica em sala de aula com os alunos do projeto.

“Estamos reciclando os nossos educadores durante esses dias e essa semana tivemos mais um parceiro dando curso que é o Super Cérebro. Todos os professores participaram dessa reciclagem e aprendendo o que tem de novo para que a gente possa passar esse método para as crianças. Por aqui ensinamos desde um cálculo mental até uma sociabilização entre jogos e o soroban que é o ábaco japonês.

Responsável por dar o treinamento para os educadores, desde o primeiro dia da parceria entre Super Cérebro e Instituto Neymar Jr., a Instrutora Sandra Cristina Souza, contou como foram esses dias de interação com os profissionais. “Com o treinamento eles vão estar mais capacitados para aplicar o método nesses alunos. Sempre deixamos claro que o método do Super Cérebro é muito individualizado, então precisa de uma atenção maior, porque não é como uma aula comum já que cada aluno tem um ritmo, assim como os professores também têm. Também trouxemos jogos novos porque sabemos que o público do Instituto é diferenciado então assim são mais adaptáveis”, contou.

Participando pela primeira vez do treinamento, Joel Arturo, educador na aula de espanhol do INJR, conta que o curso foi muito importante para ele e seus colegas se desenvolverem mentalmente para aperfeiçoarem seus conhecimentos e assim replicarem em sala de aula para os alunos. “Para mim é muito interessante, porque nós professores vamos desenvolver a habilidade mental e poder transmitir isso para as crianças. Tudo isso é muito útil em qualquer coisa que fazemos como sair, ir ao banco, tirar dinheiro e em qualquer coisa que você faça lá fora tem a matemática, então elas (crianças) podem aplicar tanto aqui, na vida e na escola também”, disse.

Raquel Faro, educadora do método Super Cérebro do INJR, era uma das profissionais mais empolgadas com o curso. Ela que diariamente tem o contato com os jogos e o soroban, conta que se depender de sua empolgação, as crianças também irão gostar do que está por vir. “Esses jogos estão sendo super empolgantes e eu espero que as crianças fiquem tão empolgadas como eu. Temos bastante diversificação de jogos para esse ano e espero que eles tenham essa expectativa e que gostem das novidades”, finaliza.