Empreender é uma das palavras mais faladas pelos brasileiros ultimamente. Dar um jeito de conseguir os objetivos com criatividade para driblar a crise ou a falta de espaço no mercado de trabalho foi um assunto abordado pela parceira do Instituto Neymar Jr, UniFsp na semana passada. Durante dois dias 32 familiares dos alunos atendidos participaram do Curso de Empreendedorismo nas dependências do INJR.

Durante o primeiro dia de curso o objetivo apresentado por Carlos Antonio Louzada, Professor da UniFsp e quem ministrou o curso para os inscritos, era falar do panorama geral do empreendedor e qual o perfil de quem procura atingir seus objetivos profissionais. “Mostramos diferenças importantes como o que é sonho e objetivo e no último dia de curso mostramos a parte prática, que é o plano de negócio”, contou.

Uma das inscritas no curso, a fotógrafa Mariluce da Costa, conta que pretende melhorar o atendimento do seu negócio próprio com as informações que aprendeu. “Eu pretendo aplicar esses ensinamentos na forma de como lidar com o cliente. Para eu saber apresentar um produto e como ele foi elaborado, pensado e planejado. Quero trazer o cliente para mim dessa maneira”.

Quem também se mostrou dedicada para absorver tudo o que a UniFsp trouxe no curso, foi a ex-aluna do Instituto Neymar Jr. Sandy Caraça, de 18 anos. Ela que atualmente cursa a faculdade de Educação Física, quer se tornar uma empreendedora no ramo e por isso se inscreveu.

“A iniciativa do Instituto de promover o curso foi muito boa para os pais e ex-alunos para a gente ter a oportunidade que muitas vezes não temos fora daqui. Por mais que eu seja ex-aluna eu continuo frequentando o Instituto fazendo esse curso, nas palestras que têm e sempre aprendendo cada vez mais”.

Ainda segundo Louzada, a iniciativa da UniFsp em conjunto com o INJR em promover cursos que estejam ao alcance dos familiares atendidos é de extrema importância. Cerca de 20 inscritos estão desempregados e se essa ação puder ter dado uma luz para todos é algo significativo, como ele conta.

“Os que estão empregados estão interessados em inovar, fazer alguma coisa diferente ou partir para outro negócio. Quem está desempregado está muito interessado porque, evidentemente, é uma oportunidade que ele não precisa de mais ninguém, porque ele mesmo consegue dar um jeito na própria vida”, finaliza.